Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

CNMP demite procurador que financiou outdoor em apoio à Lava Jato

Placar ficou empatado em 5 a 5, mas o vice-PGR, Humberto Jacques de Medeiros, deu o voto de minerva favorável à punição; demissão, porém, não é imediata
CNMP demite procurador que financiou outdoor em apoio à Lava Jato
Reprodução: Redes Sociais

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) determinou nesta segunda-feira a demissão do serviço público do procurador Diogo Castor de Mattos, acusado de financiar, via terceiros, um outdoor em defesa da Lava-Jato. Castor era integrante da força-tarefa da operação.

O placar ficou empatado em 5 a 5, mas o vice-PGR, Humberto Jacques de Medeiros, deu o voto de minerva favorável à punição. A demissão, porém, não é imediata. O procurador ainda poderá recorrer administrativamente ao próprio CNMP, e judicialmente ao Supremo.

Caso mantida a decisão, será aberta uma ação civil para formalizar a demissão.

Ao abrir o processo administrativo disciplinar, em setembro do ano passado, o corregedor nacional, Rinaldo Reis, apontou indícios de “improbidade administrativa” na conduta do procurador.

Castor admitiu ter pago a confecção do outdoor, mas disse não saber por que o contrato saiu em nome de José Carlos Queiroz Barbosa — pessoa sem relação com o caso.

A demissão ocorre no momento em que a Câmara pressiona para votar a PEC da Vingança, sob o argumento de que o CNMP não pune os integrantes do Ministério Público.

Mais notícias
TOPO