“Coisa de cinema”

Roberto Gonçalves, preso pela Lava Jato hoje cedo, era um executivo discreto, dizem seus ex-colegas da Petrobras.

Morador de Niterói, o engenheiro não ostentava sinais de riqueza desproporcionais à sua posição na estatal.

Os colegas de trabalho, no entanto, dizem que se surpreenderam com a festa de casamento que Gonçalves patrocinou para a filha, há poucos anos atrás. “Foi coisa de cinema”, disse um funcionário da empresa a O Antagonista.

Faça o primeiro comentário