Colou? Não, não colou

Quer dizer que Fernando Bittar, depois de ganhar milhões e milhões da Oi, usou o dinheiro do pai para comprar o sítio de Lula em Atibaia?

A tática é conhecida: os advogados vazam versões à imprensa e veem se elas colam.

No caso do sítio de Lula, porém, nem os melhores advogados conseguem construir versões que expliquem tudo ao mesmo tempo: os dois laranjas, a reforma clandestina realizada e bancada pela Odebrecht, pela OAS e por José Carlos Bumlai, o dinheiro vivo, a cozinha da Kitchens paga pela OAS quatro anos depois da reforma, o despiste de Fernando Bittar na entrega dos móveis, as 111 visitas de Lula, a canoa de Marisa Letícia.