Com decreto da posse de armas, MST fala em 'incentivo a violência no campo'

Telegram

Alexandre Conceição, da coordenação nacional do MST, disse ao site Metrópoles que o movimento está preocupado com “o incentivo à violência”.

A flexibilização da posse de armas, acrescentou, serve apenas para Jair Bolsonaro “pagar a fatura dos patrões que financiaram sua campanha, como a Taurus”.

“Há muito, Bolsonaro criminaliza os movimentos sociais, como o MST e as comunidades quilombolas e indígenas. Com o decreto, ele continua a incentivar a violência no campo. Violência que só atinge os mais pobres. Não morre latifundiário, só morre trabalhador do campo. O que nós queremos é uma reforma agrária ampla, para produzirmos alimento barato e saudável para acabar com o problema da fome.”

Comentários

  • Regtor -

    É só começar a trabalhar então.

  • Amadeu -

    Acabou a facilidade de atuação do MST, inclusive com subvenção do PT. Hoje não temos latifúndios improdutivos mas assentamentos improdutivos. Vamos dar terra a quem faz dela sua sobrevida.

  • Rosaldo -

    O q deve estar preocupando o Alexandre ñ é o aumento da violência no campo, mas,sim o fato d q o seu MST poderá encontrar gte armada qdo comandar as suas famosas invasões de Fazendas no interior

Ler 248 comentários