Com mais profissionais de saúde, DF vai receber proporcionalmente mais doses da Coronavac

Com mais profissionais de saúde, DF vai receber proporcionalmente mais doses da Coronavac
Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

O Distrito Federal vai ser a unidade da federação proporcionalmente mais beneficiada pela distribuição do primeiro lote da Coronavac.

Pelos números divulgados ontem (17) à noite pelo Ministério da Saúde, o DF vai receber 105 960 doses da vacina. O número equivale a 3,4% da população, pelos dados do IBGE.

Para efeitos de comparação: Minas Gerais vai receber doses em número equivalente a 2,6% de sua população, e o Rio de Janeiro, 2,8%. São Paulo ficou com pouco mais de 1,3 milhão de doses, ou cerca de 2,9% da população.

Esses números não levam em conta que a vacina deve ser aplicada em duas doses.

Proporcionalmente, o Pará é o estado que vai receber menos doses. Pouco mais de 124 000, o equivalente a 1,4% de sua população.

Procurada, a assessoria de imprensa do Ministério da Saúde não quis responder o porquê, mas os números da pasta ajudam a esclarecer o motivo.

Uma hipótese para a maior distribuição no DF é a proporção de profissionais de saúde. Pelos números do ministério, são 49 629 trabalhadores de saúde vacinados nesta etapa, ou cerca de 1,6% da população de Brasília e seu entorno.

Os profissionais de saúde a serem vacinados são cerca de 1,2% da população em São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, por exemplo. No Pará, são 0,6%.

Os números, pela tabela do Ministério da Saúde, são suficientes para aplicar duas doses, em todos os estados, nos quatro grupos identificados: (1) 34% dos profissionais de saúde, (2) população indígena vivendo em terras indígenas, (3) pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência e (4) pessoas com deficiência institucionalizadas.

Ao todo nesta etapa serão 2,8 milhões de pessoas vacinadas, ou 1,3% da população do Brasil.

Leia mais: Enquanto dezenas de países do mundo já iniciaram a vacinação contra a Covid-19, o Brasil patina entre duas vacinas.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO