Com ou sem juízo de valor

Depois do embate entre o procurador Frederico Paiva e o juiz Ricardo Leite, a Força Tarefa do MPF que cuida da Operação Zelotes divulgou uma nota para tentar pacificar os ânimos.

Diz que em “nenhum momento exerceu juízo de valor” em relação aos juízes que já atuaram no caso e que “confia plenamente na seriedade da Justiça Federal e no trabalho realizado na 10a Vara”.

Entretanto, o MPF reitera que Leite perdeu condições de continuar a julgar a causa:

“Em relação ao pedido de exceção de suspeição apresentado contra o juiz Ricardo Augusto Soares Leite, a Força Tarefa reitera que a solicitação atende a critérios exclusivamente técnicos. Para os procuradores, ao interromper o programa de investigação do MPF e da PF, determinando diligências investigatórias em linha de apuração oposta – fato ocorrido em 7 de outubro – o magistrado assumiu a titularidade da apuração, o que, de acordo com a jurisprudência e o Código de Processo Penal, o torna suspeito para julgar a causa, pois perdeu sua imparcialidade.”

Com ou sem juízo de valor, Frederico e sua equipe tiveram a coragem de pedir – e a juíza Célia Bernardes concedeu – a busca e apreensão no escritório de Luís Cláudio Lula da Silva.