ACESSE

Com salário de R$ 42 mil, subprocurador reclamou de situação aflitiva

Telegram

O subprocurador-geral da República Nívio de Freitas Silva Filho demonstrou preocupação a Augusto Aras com a falta de regulamentação do auxílio-moradia para a topo da carreira do MPF e disse que os vencimentos já não chegam ao final do mês.

A remuneração bruta do procurador é de R$ 42,2 mil. Em janeiro, com gratificação natalina, o vencimento foi de R$ 74,9 mil. A reclamação foi registrada em reunião no fim de 2019 do Conselho Superior do Ministério Público, cúpula do MPF.

O benefício reclamado foi liberado, em determinadas situações, a membros do Ministério Público Federal. Silva Filho afirmou que chegava a se questionar sobre permanência nos quadros do MPF.

COMO ELE VIROU O VICE QUE BOLSONARO QUER. Saiba mais

Comentários

  • Márcia -

    E líquido quanto ganha?

  • Luis -

    Segundo pesquisas que efetuei junto ao NOSSO POVO de BEM..... este procurador dada a sua "aflitiva situação de penúria" está liberado para SOLICITAR DEMISSÃO do SERVIÇO PÚBLICO !!!

  • MARCO -

    O padrão de vida ALTÍSSIMO dessa gente, por mérito ou não (vai saber), exige vencimentos estratosféricos. Como pagar a Ferrari na garagem, as jóias da patroa, as férias dos pimpolhos na Europa...

Ler 78 comentários