Com UTIs lotadas, baladeiros de SC ignoram medidas contra Covid

Com UTIs lotadas, baladeiros de SC ignoram medidas contra Covid
Foto: Henrique Trilha/Pixabay

Reportagem da Folha conta como em Florianópolis, que tem 92% de suas UTIs públicas ocupadas com pacientes graves de Covid, baladeiros burlam a fiscalização e ignoram medidas sanitárias contra a doença.

“Pessoal, todo mundo sentadinho com a máscara, tá?” O aviso feito ao microfone de um bar no centro de Florianópolis poderia ser um alerta para evitar a contaminação pela Covid-19, mas se tornou símbolo do desrespeito às regras sanitárias em Santa Catarina”, diz o texto.

“O recado para sentar e colocar a máscara foi dado momentos antes da chegada dos agentes de fiscalização ao local. Quando os fiscais saem, os baladeiros levantam, retomam a festa e o show continua”, prossegue a reportagem.

O jornal paulistano conta ainda que as denúncias contra festas são frequentes —por exemplo, em Jurerê Internacional, onde os moradores se queixam das baladas nos “beach clubs” à beira do mar.

Ocasionalmente, as baladas são interrompidas, como foi o caso de uma que reuniu 23 barcos em torno de um show ao vivo num deck flutuante.

“[É um desrespeito] com todos os nossos profissionais de saúde, assim como com os mais de 850 cidadãos de Florianópolis que perderam a vida em decorrência da Covid-19 e tantos outros que estão lutando por ela nas UTIs da cidade”, disse a diretora da Vigilância em Saúde da capital catarinense, Priscilla Valler dos Santos.

Leia mais: O furo de reportagem de O Antagonista sobre a mansão comprada por Flávio Bolsonaro em Brasília é dissecado na edição desta semana da Crusoé
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO