​Combinou com Geddel?

Roberto Freire curtiu seus primeiros momentos como ministro indicado da Cultura falando grosso, garantindo que não se submeterá a pressões como a que teria levado à saída de Marcelo Calero, atropelado por Geddel Vieira.

“Não vou assumir por pressão de quem quer que seja, e nem vou me submeter a pressão”, disse Freire, segundo a Folha.

E Temer, o que diz?

Faça o primeiro comentário