“Como é que o cara vai viver com R$ 24 mil?", reclama procurador de Minas

Insatisfeito com o salário líquido de R$ 23,8 mil, o procurador Leonardo Azeredo dos Santos cobrou um aumento numa sessão da Câmara de Procuradores do MPMG, em agosto, informa Folha.

“O senhor me desculpe o desabafo, eu estou fazendo a minha parte. Eu estou deixando de gastar R$ 20 mil de cartão de crédito e estou passando a gastar R$ 8 [mil], para poder viver com os meus R$ 24 mil”, disse ao procurador-geral da Justiça, Antônio Sérgio Tonet.

O procurador disse que “não tem origem humilde” nem “acostumado com tanta limitação”. Chamou o salário que recebe de “miserê”.

“Como é que o cara vai viver com R$ 24 mil? O que é que de fato vamos fazer para melhorar a nossa remuneração? Ou nós vamos ficar quietos? Eu não sei se vou receber a mais, se vai ter algum recálculo dos atrasados que possa me salvar, salvar a minha pele. Eu, de qualquer forma, já estou baixando meu padrão de vida bruscamente, mas eu vou sobreviver.”

Desse jeito, o Brasil tem solução?

Comentários

  • elisabeth -

    Se está descontente, devia ter pedido demissão.Mas cade o caráter? Cade.???

  • Loreana -

    Essa criatura deveria ser obrigada a atuar um período de tempo, recebendo um salário mínimo.

  • Enilze -

    Segundo o jornal O Tempo, o promotor recebeu líquido R$ 68.000,00 de janeiro a julho de 2019. O G1 informa 60.000,00 líquido/mês. Em MG eles receberam até auxílio moradia retroativo após liminar STF

Ler 183 comentários