A compra de um jornal para divulgar o ‘bom nome’ de Aécio

No pedido de buscas da Operação Ross, divulgado mais cedo, a Procuradoria Geral da República explica por que a J&F comprou o prédio do jornal Hoje em Dia, em Belo Horizonte, em benefício de Aécio Neves.

Segundo a PGR, o jornal foi adquirido em 2013 por Flávio Carneiro, amigo de Aécio, por R$ 15 milhões, “para utilizá-lo em seu beneficio no decorrer das eleições de 2014 e durante o futuro governo federal” e para que também “divulgasse o bom nome do político”.

No início de 2015, derrotado na disputa, Aécio pediu a Joesley Batista R$ 18 milhões para, segundo ele, quitar dívidas de campanha. Depois de alguma resistência, o dono da J&F concordou em comprar o edifício do jornal por R$ 17,3 milhões.

Você precisa saber quem são os novos 'donos do poder'. E precisa saber AGORA

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 11 comentários
  1. Esse Porco ainda conseguiu manter o Foro como Dep. Federal , Politico Porco se elegeu pelo Curral de Minas Gerais , deixa ele , esse Porco vai se ferrar mais cedo ou mais tarde , Porco Chuvinista !

  2. Aécio, como mineira, senti tanta tristeza qdº seu Tio, Tancredo Neves, eleito Pres. do Brasil estava à beira da morte e, com ele, via morrer a esperança do Brasil. Hoje sinto nojo e vergonha de vo

    1. Esta é a mais pura verdade. Foi a única coisa boa das Smartimatic fraudáveis até hoje: ter tomado a eleição de Aécio em favor de Dilma.