Comprando o silêncio de Valério

Delcídio do Amaral narrou em detalhes a operação para comprar o silêncio de Marcos Valério, que cobrou R$ 220 milhões do PT para não revelar o envolvimento de Lula no mensalão.

Após o encontro com Valério, Delcídio se reuniu com Paulo Okamotto e com o próprio presidente Lula. Segundo o senador petista, “Lula ficou branco” ao saber da ameaça de Valério.

Delcídio disse a Lula: “Quando se assume um compromisso, este tem que ser cumprido ou negociado. Se as coisas não andarem, o quadro que está ruim vai ficar pior ainda.”

O senador contou que depois do encontro com Lula foi censurado por Marcio Thomaz Bastos e Antonio Palocci, que lhe disseram que Lula havia ficado puto. A partir dali, quem assumiu a função de negociar com Valério foi Palocci.

Delcídio ainda comentou na delação que Valério estava sempre com Lula na Granja do Torto e se referiu a uma frase de José Dirceu. “Quebra o sigilo lá que vão ver quem passa o domingo na Granja do Torto.”

O senador contou ainda que soube que pagaram Valério ao longo de 2008 cerca de R$ 110 milhões, depositados em contas no exterior.