Condução coercitiva: 1 a 1

Alexandre de Moraes vota pela validade das conduções coercitivas.

Para o ministro, o que não pode haver é coação para forçar interrogatório ou até mesmo delação.

“Mas fica o investigado com o direito ao silêncio.”

Moraes sustenta que o investigado tem o direito de não produzir provas contra si, mas não pode se recusar a participar da persecução penal.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

  1. Éh…. a pressão vai diminuindo o povo e a mídia estão preocupados com o Neymar. Quando acabar a copa vamos ver a ressaca. Enquanto o Brasil estiver ganhando vai se enrolando, agora se começar a perder aí é que eu quero ver.

Ler mais 6 comentários
  1. Éh…. a pressão vai diminuindo o povo e a mídia estão preocupados com o Neymar. Quando acabar a copa vamos ver a ressaca. Enquanto o Brasil estiver ganhando vai se enrolando, agora se começar a perder aí é que eu quero ver.

  2. Sempre discutindo uma forma de defender bandidos. Atitudes como essa representam o judiciário brasileiro. O objetivo nunca foi fazer justiça, o objetivo é a proteção de bandidos. Esperar o quê de ministros que, na sua maioria, se quer fizeram parte da magistratura.

  3. Coercitivas somente para POLÍTICOS, pois achar um deles para NOTIFICAR é muito difícil, e sendo assim QUANDO encontra tem que levar na HORA, pois no dia seguinte ele SOME novamente. O JUDICIÁRIO brasileiro é o BERÇO da IMPUNIDADE na politica, e são eles os CORRUPTOS que nos atrasam DESDE o descobrimento.