Conselho do MPF discute futuro das forças-tarefa

Conselho do MPF discute futuro das forças-tarefa
Divulgação/PGR

O Conselho Superior do Ministério Público Federal se reúne hoje para discutir propostas que podem mudar a formação e funcionamento das forças-tarefa da Lava Jato.

Está na pauta da sessão uma proposta de Augusto Aras para criar 27 ofícios especializados do MPF em corrupção, um em cada capital, e, por um ano, transferir seus procuradores para auxiliar Alessandro Oliveira em Curitiba e Eduardo El Hage no Rio.

A expectativa no Paraná e no Rio de Janeiro, porém, é que os atuais integrantes sejam mantidos e que os novos membros somem-se a eles, e não os substituam.

O prazo de funcionamento da força-tarefa do Paraná termina em janeiro; no Rio, o prazo termina no dia 8 de dezembro.

Estará na mesa outra proposta que pode manter os atuais procuradores da Lava Jato.

O conselheiro José Elaeres propõe tirar do procurador-geral o poder de constituir as forças-tarefa, que passaria a ser do próprio Conselho Superior ou mesmo do chefe de cada unidade estadual do MPF.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
TOPO