Consultor jurídico do BRB é advogado privado de ex-presidente preso na Circus Máximus

O MPF descobriu que o atual consultor jurídico do Banco Regional de Brasília (BRB), Durval Garcia Filho, é advogado privado do ex-presidente Vasco Cunha Gonçalves, investigado na Operação Circus Máximus.

Durval, em nome do BRB, tentou ter acesso aos autos da investigação como assistente da acusação. Mas foi vetado pelos procuradores.

“Peculiar é a relação entre patronos constituídos do BRB e alguns acusados.” Além disso, ainda estão em apuração “fatos conexos e supostamente ilícitos” que podem colocar outros dirigentes da instituição no banco dos réus.

Durval defende Vasco, curiosamente, num processo em que ele foi condenado pela Previc por investimento ilegal da Regius (fundo de previdência dos servidores do BRB) no extinto Banco Santos.

Em tese, não era nem para ele ter assumido o comando do BRB.

Você está convidado a fazer parte do Novo Antagonista: mais afiado, mais ágil, mais exclusivo. SAIBA MAIS AQUI

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Bonoplates disse:

    É muito ladrão junto, para reduzir só começando do zero!!!

Ler comentários
  1. Noely disse:

    Cadeia em toda o rosário de corruptos, e por longos anos, é o melhor castigo.

  2. OPJ disse:

    Os SAFADOS se protegem. Por isso está sendo difícil para Bolsobaro colocar o país nos eixos. São 10 ladrões para cada trabalhador.

  3. le disse:

    Puro retrato de um país onde o mau caratismo, os favores imundos imperam. Um país apodrecendo a cada dia.

  4. Memyself disse:

    Em tese, politicos, juizes, ministros, servidores publicos, dirigentes de estatais, de fundos de pensão deveriam ser honestos.

  5. Rumanettto disse:

    Qual surpresa?? MAÇONARIA MAFIOSA faz dessas e muito mais por todo jud@$$!ário, executivo e legislativo...só não vê quem não quer ou é cúmplice destas maracutaias todas

  6. Péricles disse:

    O Brasil limitou os correntistas ao BB, CEF, Itaú, Bradesco e Santander. Obra do governo passado do PT., por que não feharam também esse cabide de emprego?