Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Contarato recomenda quebra de sigilo de Queiroga em caso de hospital reativado com verba pública

Contarato recomenda quebra de sigilo de Queiroga em caso de hospital reativado com verba pública
Reprodução

O senador Fabiano Contarato (Rede/ES) recomendou à CPI da Covid que seja pedida a quebra de sigilo fiscal e bancário de Marcelo Queiroga, após reportagem de O Antagonista mostrando que um hospital da família do ministro foi reformado com recursos públicos e posto à venda.

“Acho que essa quebra do sigilo fiscal e bancário tem que ser vista. A lei que trata de combate à corrupção prevê as situações em que um ministro de Estado não pode ter esse tipo de vinculação. Recomendo que fosse (sic) postulada a quebra do sigilo para avaliar esse hospital. (isso) tem que ser avaliado em todos os seus aspectos.”

Mais cedo, Renan Calheiros também questionou Queiroga sobre o caso, mas o ministro saiu pela tangente, dizendo que não tem vínculo com o hospital de seu sogro — já falecido.

Como O Antagonista revelou, o Hospital Santa Paula, da qual Queiroga já foi diretor, estava desativado desde 2012. No ano passado, ele foi locado e reformado pelo governo da Paraíba, com verba federal para o enfrentamento da Covid. Logo depois, foi posto à venda por R$ 47 milhões. O próprio governador João Azevedo estaria negociando a aquisição da unidade hospitalar, rebatizada de Maternidade Frei Damião II.

O Santa Paula integra o espólio de Antônio Cristóvão de Araújo Silva, seu sogro, falecido em 2018. Entre os herdeiros estariam a esposa do próprio ministro, a médica Simone Teotônio de Araújo Queiroga Lopes, e a cunhada Maria do Socorro Teotônio Araújo da Cunha Lima, que assinou o contrato de locação com o governo de Azevêdo. Ela é casada com o também cardiologista João Alfredo Falcão da Cunha Lima, que vem a ser sócio de Queiroga no Cardiocenter Centro de Diagnóstico.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO