Coordenador da Greenfield deixa força-tarefa por falta de estrutura de trabalho

O procurador Anselmo Lopes, que coordenava a força-tarefa da Greenfield desde o início, deixou o grupo. Ele permutou de ofício com Cláudio Drewes, procurador-chefe do MPF no Distrito Federal – em movimento similar ao de Deltan Dallagnol.

Procurador natural do caso, Anselmo enviou carta aos colegas do MPF dizendo que sua decisão foi “motivada pela insatisfação com a insuficiência de dotação de uma estrutura adequada de trabalho”.

“Impossível que um só procurador da República se dedique com exclusividade a esse complexo investigativo. Por maior que seja o espírito público e a vontade de lutar pela Justiça, permanecer como único membro de dedicação exclusiva à Força-Tarefa pareceu-me inaceitável.”

A Greenfield foi responsável por desvendar o bilionário esquema de fraudes e desvios de recursos dos fundos de pensão das estatais, comandado especialmente por PT e MDB. Chegou ao grupo J&F e aos irmãos Joesley e Wesley Batista, que confessaram atos de corrupção envolvendo mais de 1,8 mil políticos.

O Supremo está para julgar a rescisão da colaboração premiada dos irmãos Batista, que foi objeto de lobby do anjo Fred Wassef junto a Augusto Aras, como revelou Crusoé. A defesa dos colaboradores nega ter contratado o advogado para atuar perante a PGR.

Leia mais: OS R$ 42 MILHÕES DO ADVOGADO DE BOLSONARO
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 36 comentários
TOPO