Corrente do bem

Se o lobista Fernando Soares, o Baiano, tinha “relação estreita de amizade” com o pecuarista José Carlos Bumlai e este era (é) amicíssimo de Lula, a ponto de ter acesso livre ao gabinete presidencial, caso Lula precisasse de um empréstimo e Bumlai não pudesse dispor do dinheiro, Baiano entraria em cena?

Com a confiança que tinha em Baiano, Bumlai não lhe diria que o dinheiro era para ajudar nas despesas da nora de Lula com um imóvel? E, sabendo disso, Baiano teria coragem de cobrar de Bumlai os R$ 2 milhões “emprestados”?

Faça o primeiro comentário