Correspondência para Renan

Chegou a vez de Renan Calheiros.

E o caminho para pegá-lo será o rombo no Postalis.

A Folha de S. Paulo, hoje, publica uma reportagem sobre dois operadores que captaram 570 milhões de reais do fundo de pensão dos Correios.

Um deles, Milton de Oliveira Lyra Filho, “já foi apontado como operador do presidente do Senado, Renan Calheiros, e seu nome apareceu em uma anotação apreendida no gabinete do senador Delcídio do Amaral sobre suposta propina de R$ 45 milhões para o PMDB”.

O Antagonista avisou: Renan Calheiros está morto.

E não há acordo com Dilma Rousseff que possa ressuscitá-lo.