Corticoide reduz tempo de paciente com Covid-19 em respirador, diz estudo

O anti-inflamatório corticoide dexametasona pode reduzir o tempo de pacientes com quadros graves de Covid-19 em respiradores artificiais.

A conclusão é de estudo da Coalização Covid-19 Brasil, grupo liderado pelos hospitais Albert Einstein, Sírio-Libanês e HCor.

Segundo a pesquisa, pacientes que usaram o corticoide ficaram, em média, 6,6 dias sem utilizar respiradores artificiais. Já os pacientes que não usaram o remédio ficaram 4 dias sem usar o equipamento.

De acordo com os pesquisadores, a retirada mais rápida do respirador artificial pode estar associada ao menor risco de complicações decorrentes da doença. A alta do paciente também pode ser mais precoce se não for necessária a utilização de ventiladores pulmonares.

O estudo foi realizado com 299 pacientes com síndrome respiratória aguda grave, causada pela Covid-19, submetidos a ventilação mecânica. Ele integra um grande estudo internacional, com a participação de 1,7 mil pacientes, e publicado no Journal of the American Medicine Association (Jama).

Os corticites hidrocortisona e metilprednisolona também mostraram ter efeito positivo em pacientes graves da doença.

Em nota, a OMS recomendou o uso de corticoides no tratamento de casos graves de Covid-19.

“Recomendamos corticosteroides sistêmicos para o tratamento de pacientes com Covid-19 em estado grave e crítico. Sugerimos não usar corticosteroides no tratamento de pacientes com quadros não severos de covid-19”, disse a entidade.

Leia mais: O erro dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais
Mais notícias
TOPO