Cota feminina foi direcionada para empresas ligadas a dois assessores de Flávio Bolsonaro

Durante a campanha de 2018, o PSL do Rio de Janeiro direcionou dinheiro da cota feminina para empresas ligadas a dois assessores de Flávio Bolsonaro envolvidos no esquema de rachadinha.

“As duas empresas contratadas são Alê Soluções e Eventos e Jorge Domingues Sociedade Individual Advocacia”, diz o UOL.

“A primeira pertence a Alessandra Oliveira, assessora de Flávio Bolsonaro na Alerj e, ao mesmo tempo, primeira-tesoureira do partido no Rio. A segunda é ligada a Luis Gustavo Botto Maia, advogado eleitoral do filho do presidente da República.”

Cinco candidatas ouvidas pela reportagem disseram que a contratação das duas empresas foi direcionada pelo PSL do Rio de Janeiro, que era presidido pelo próprio Flávio Bolsonaro.

Leia mais: O Centrão quer dominar sua 'casa'. Entenda como
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 46 comentários
TOPO