Covas diz que apoio de Russomanno não 'nacionaliza' campanha

Covas diz que apoio de Russomanno não nacionaliza campanha
Foto: Governo do Estado de São Paulo

Bruno Covas afirmou há pouco, em entrevista ao Valor, que o apoio de Celso Russomanno não “nacionaliza” sua campanha.

Russomanno era o candidato de Jair Bolsonaro em São Paulo, mas perdeu o primeiro turno com 10,5% dos votos válidos.

“Não há nenhuma alteração em receber este ou aquele apoio, que são apoios de segundo turno, quando as pessoas se deparam com dois projetos e duas propostas e têm de escolher aquela que tem a mais familiaridade. Não tenho problema em receber este tipo de apoio. Não são apoios condicionados a tratar da questão nacional. Muito pelo contrário. A gente continua a focar a campanha nas questões locais.”

Segundo Covas, todas as eleições municipais desde a redemocratização mostram que não há relação entre os pleitos locais e os nacionais. “O eleitor, quando escolhe o seu prefeito e prefeita, está preocupado com o remédio no posto de saúde, na vaga em creche, no ônibus. Em nenhum momento ele vota pensando na formação de quadros para a eleição estadual ou nacional”, disse.

O prefeito ainda criticou Guilherme Boulos, que colocou Ciro Gomes, Fernando Haddad, Lula e Marina Silva em suas propagandas eleitorais.

“[Boulos radicaliza] A partir do momento que a gente vê o Haddad ao lado do Boulos dizendo ‘olha, quem presta está com a gente’. Esse é o tipo de radicalismo que não serve, não tem espaço na cidade de São Paulo. Não é porque a pessoa pensa diferente de mim que ela não presta. Querer classificar as pessoas como boas ou ruins, honestas ou desonestas pela forma como a qual ela pensa ou posiciona politicamente, isso é um radicalismo que não tem espaço na cidade de São Paulo.”

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais lidas
  1. Huck 2026?

  2. Urgente: MP aponta desvio de vacinas em Manaus e pede prisão do prefeito; desembargador declina

  3. Bolsonaro: leite condensado é para 'enfiar no rabo' da imprensa

  4. Pandemia 'pode ter sido fabricada', diz Bolsonaro

  5. Neymar pai no 'churrasco de leite condensado'

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 7 comentários
TOPO