Covid-19: reinfecção em Hong Kong 'não tem importância epidemiológica', diz Medina

Covid-19: reinfecção em Hong Kong não tem importância epidemiológica, diz Medina

O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo, José Medina, afirmou há pouco que o caso de reinfecção pela doença constatado em Hong Kong “não tem importância epidemiológica”.

Em coletiva, Medina afirmou que a modificação viral é normal e que o caso ajudará a entender o comportamento do vírus no futuro, mas sem preocupação de novo surto.

“É normal ter modificação viral como essa. No Brasil, os coronavírus que estão circulando têm bastante modificações. É até uma forma de identificar qual é a origem geográfica desse vírus. A Fiocruz já identificou diversas formas diferentes de vírus, diversas modificações virais. O que é novidade nesse caso é que a mesma pessoa adquiriu duas vezes, e isso não tinha acontecido antes. Na primeira vez, ela teve sintomas leves por três dias. Nessa, ela foi assintomática.”

E acrescentou:

“Não tem importância do ponto de vista epidemiológico e de saúde pública, porque é um caso em 25 milhões de casos no mundo (…). Esse caso só ajuda a entender como esse vírus vai se comportar no futuro. Se ele vai desaparecer, se será cíclico ou se vai manter sua atividade durante alguns anos. Não tem nenhuma importância epidemiológica.”

Leia mais: O erro dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 3 comentários
TOPO