Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

CPI da Covid deve incluir mais nove pedidos de indiciamentos

O pedido de investigação relacionado ao governador do Amazonas também está sendo discutido pelos integrantes do colegiado
CPI da Covid deve incluir mais nove pedidos de indiciamentos
Foto: Adriano Machado/Crusoé

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), deve incluir em seu relatório final, pelo menos, mais nove pedidos de indiciamentos de pessoas que foram citadas ao longo da investigação.

A lista complementar de Renan (foto) começou a ser negociada ontem pelos integrantes do G7. Na lista dos possíveis novos indiciados, estão nomes como Heitor Freire de Abreu, ex-auxiliar do ministro Braga Netto no Centro de Coordenação de Operações da Pandemia – ele deve ser enquadrado em crime de epidemia e por crime contra a humanidade.

Também estão na nova lista Regina Célia de Oliveira, fiscal de Contratos do Ministério da Saúde, que liberou o pagamento de US$ 45 milhões em favor da Precisa Medicamentos para a aquisição do primeiro lote da vacina Covaxin e o reverendo Amilton Gomes de Paula, que tentou vender vacinas ao Ministério da Saúde, por meio da Davati. Amilton Gomes deve ser indiciado pelo crime de estelionato.

O pedido de indiciamento do governador do Amazonas, Wilson Lima, também está sendo discutido. Porém, há divergência entre os dois senadores amazonenses na comissão: o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD), e Eduardo Braga (MDB). A ideia é defendida por Braga.

“Vamos avaliar cada nome com muita calma ao longo do final de semana”, disse ontem à noite o relator da CPI, Renan Calheiros.

Com isso, a lista de indiciamentos que ontem tinha 66 pessoas (o presidente da República + 65) pode chegar a até 75. Além destes, Renan pediu o indiciamento de duas empresas: a VTCLog e a Precisa Medicamentos.

Leia abaixo a lista complementar de indiciados:

– Heitor Freire de Abreu, auxiliar do ministro Braga Netto no Centro de Coordenação de Operações da Pandemia;

– Coronel Marcelo Bento Pires, ex-assessor do Ministério da Saúde;

– Alex Lial Marinho, ex-coordenador de logística do Ministério da Saúde;

– Thiago Fernandes da Costa, assessor técnico do Ministério da Saúde;

– Regina Célia de Oliveira, fiscal de contratos do Ministério da Saúde;

– Reverendo Amilton Gomes de Paula, presidente da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah);

– Hélio Angotti Netto, secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos do Ministério da Saúde;

– José Alves e Jailton Batista, donos da Vitamedic.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO