Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

CPI da Covid: o que esperar do depoimento de Marconny Faria

Ele deveria ter prestado depoimento na primeira semana de setembro, mas apresentou um atestado médico alegando "problemas pélvicos"
CPI da Covid: o que esperar do depoimento de Marconny Faria
Reprodução/redes sociais

A CPI da Covid pretende ouvir hoje, às 9h30, o empresário Marconny Faria, apontado como lobista da Precisa Medicamentos.

Durante o depoimento, os senadores vão tentar aprofundar as investigações sobre as tratativas da empresa com o Ministério da Saúde no contrato de fornecimento da vacina Covaxin, que foi cancelado após indícios de irregularidades.

Além disso, os integrantes da CPI vão buscar informações sobre os contatos de Marconny Faria com ex-servidores do Ministério da Saúde, como o ex-diretor de logística Roberto Dias, e com pessoas próximas ao presidente da República, como a advogada Karina Kufa.

Ele deveria ter prestado depoimento na primeira semana de setembro, mas apresentou um atestado médico do Sírio-Libanês para não depor à CPI, alegando “problemas pélvicos”. Entretanto, o médico que assinou o documento cancelou o atestado após a CPI pedir uma perícia.

Saiba quais serão as principais perguntas que devem ser feitas a Faria pela CPI:

– Quais as relações entre Marconny Farias e integrantes da Precisa Medicamentos?

– Como Marconny Farias conheceu Francisco Maximiano, dono da Precisa?

– O ex-diretor de logística do Ministério da Saúde Roberto Dias ajudou a mediar contatos na pasta com a Precisa Medicamentos?

– A advogada de Bolsonaro Karina Kufa ajudou a mediar contatos com a Precisa Medicamentos?

– O que foi discutido no jantar na casa de Karina Kufa em 25 de maio do ano passado, quando Marconny foi apresentado a Ricardo Santana, ex-servidor da Anvisa que trabalhou de forma informal no Ministério da Saúde?

– Ricardo Santana atuou para ajudar a formalizar algum contrato com o Ministério da Saúde?

Mais notícias
TOPO