Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

CPI da Covid: o que esperar dos depoimentos dos diretores da Precisa

Ontem, Emanuela Medrades evitou responder às perguntas dos senadores, após ter sido beneficiada com um habeas corpus do STF
CPI da Covid: o que esperar dos depoimentos dos diretores da Precisa
Foto: Pedro França/Agência Senado

A CPI da Covid tentará, novamente, ouvir nesta quarta-feira (14) a diretora da Precisa Medicamentos Emanuela Medrades na manhã de hoje. Além disso, os senadores marcaram para hoje o depoimento do sócio-diretor da empresa, Francisco Maximiano.

Ontem, Emanuela Medrades evitou responder às perguntas dos senadores. Pela manhã, ela fugiu dos questionamentos alegando ter em mãos um habeas corpus do STF; pela noite, a diretora afirmou que estava “exausta” e disse que se comprometeria a prestar mais esclarecimentos na sessão de hoje.

Além disso, a CPI vai tentar ouvir Francisco Maximiano, tido como o principal responsável pelas tratativas entre o governo federal e o laboratório Bharat Biotech para a aquisição de 20 milhões de doses da vacina Covaxin.

Leia as principais perguntas que devem ser feitas para Francisco Maximiano e Emanuela Medrades, segundo apurou O Antagonista:

– Como foram as negociações com o governo federal em relação à vacina Covaxin? O Ministério da Saúde pediu celeridade nas tratativas?

– A Precisa Medicamentos manteve algum contato com membros do governo federal para facilitar o processo de importação do imunizante?

– A Precisa Medicamentos sabia da reunião entre Jair Bolsonaro e o primeiro ministro da Índia, Narendra Modi, na qual foi discutida a possível importação do imunizante Covaxin?

– Após a formalização do contrato com o Ministério da Saúde, a Precisa Medicamentos deu alguma garantia de que poderia cumprir os prazos com a pasta?

– Houve algum tipo de pressão atípica sobre o servidor Luis Ricardo Miranda, irmão do deputado Luis Miranda, para que ele liberasse a importação do imunizante? Como foram as conversas com ele?

– Quem deu a autorização para a emissão as invoices [notas fiscais internacionais]? A ordem partiu do Ministério da Saúde? Partiu de Maximiano ou de Emanuela Medrades?

– De quem foi a responsabilidade pela informação sobre ‘pagamento antecipado’ nas invoices? Isso partiu da empresa ou foi recomendação do Ministério?

– O ex-secretário executivo Elcio Franco participou do processo de liberação de importação da vacina Covaxin? Como foi a participação dele?

– Qual é a relação entre Francisco Maximiano e o líder do governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros?

– A Precisa Medicamentos fez algum lobby em relação à Medida Provisória que permitia que a Anvisa autorizasse a importação da vacina Covaxin após anuência da agência indiana de medicamentos?

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO