CPMI quer lista de minoritários da JBS

O deputado Izalci Lucas (PSDB) vai pedir à CPMI da JBS a lista de acionistas minoritários – que é sigilosa.

Essa lista deve ser um manancial de boas informações.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Fiorita disse: 2 de outubro de 2017 às 22:38
    A mesma chave que abria o escritório de José Carlos Bumlai em São Paulo também abria as portas do local de trabalho dos filhos de Lula. Lá dentro dividiam a mesma equipe e não há recibo que prove que pagavam aluguel separado ou que o prédio fosse de um dos ronaldinhos do ex-presidente. Bumlai era o “papai” dos filhos do Lula. O que distribuía as mesadas e garantia as despesas. O que recolhia as propinas do Petrolão e fazia a distribuição.Assim que a Lava Jato começou, sumiu o escritório. Se fosse coisa séria teria continuado. Ninguém sabe para onde correram. Nem onde funcionam hoje as tais “empresas” dos Silva.
    entre na conversa
    Oka disse: 2 de outubro de 2017 às 22:36
    Se continuasse no local, Bumlai pagaria hoje mais de R$ 11 mil por mês pelo aluguel das salas, que ocupavam pouco mais da metade do andar.Quem viu Bumlai circular pelos dez andares do prédio lembra da forte estrutura que o cercava. Era comum ver o empresário chegar em utilitários blindados, acompanhado de seguranças: — Parecia filme. Ficava gente vigiando a portaria enquanto ele estava lá em cima — relatou um manobrista ao GLOBO.O Fernando Baiano costumava frequentar

  2. Ler mais 6 comentários
    1. Fiorita disse: 2 de outubro de 2017 às 22:38
      A mesma chave que abria o escritório de José Carlos Bumlai em São Paulo também abria as portas do local de trabalho dos filhos de Lula. Lá dentro dividiam a mesma equipe e não há recibo que prove que pagavam aluguel separado ou que o prédio fosse de um dos ronaldinhos do ex-presidente. Bumlai era o “papai” dos filhos do Lula. O que distribuía as mesadas e garantia as despesas. O que recolhia as propinas do Petrolão e fazia a distribuição.Assim que a Lava Jato começou, sumiu o escritório. Se fosse coisa séria teria continuado. Ninguém sabe para onde correram. Nem onde funcionam hoje as tais “empresas” dos Silva.
      entre na conversa
      Oka disse: 2 de outubro de 2017 às 22:36
      Se continuasse no local, Bumlai pagaria hoje mais de R$ 11 mil por mês pelo aluguel das salas, que ocupavam pouco mais da metade do andar.Quem viu Bumlai circular pelos dez andares do prédio lembra da forte estrutura que o cercava. Era comum ver o empresário chegar em utilitários blindados, acompanhado de seguranças: — Parecia filme. Ficava gente vigiando a portaria enquanto ele estava lá em cima — relatou um manobrista ao GLOBO.O Fernando Baiano costumava frequentar

    2. Que venha a público esta lista de minoritários. Provavelmente o nome dos filhos do MOLUSCO, NINE, A JARARACA, O AMIGO, A ALMA MAIS HONESTA DO BRASIL, ou de seus laranjas aparecerá.

    3. Antagonista esquece essa po.rra de CPI é palanque pra político corrupto. Quer uma prova indiscutível? A CPI da Petrobrás acabou concluindo que NADA de errado aconteceu na empresa. Deixa esses vigaristas falando sozinhos.

    Os comentários para essa notícia foram encerrados.