Criador de perfil falso de Maia é alvo de investigação

Um usuário do Twitter que criou um perfil falso de Rodrigo Maia tornou-se alvo de investigação no Supremo depois que publicou um post comemorando a aprovação, no ano passado, da nova lei contra o abuso de autoridade.

Com uma foto do presidente da Câmara e após mudar o nome do perfil para @RadrigoMaia, ele postou um tweet nos seguintes termos:

“Visamos acabar com a perseguição política de certos procuradores e juízes contra a classe política. Não iremos nos calar frente aos desmandos de uma operação que visa criminalizar toda a classe.”

Maia passou a ser atacado nas redes, sobretudo depois que, com base no tweet, um site de fake news publicou a seguinte manchete: “Rodrigo Maia confessa que objetivo da nova lei é acabar com a Lava Jato”.

O presidente da Câmara pediu a Alexandre de Moraes para investigar o criador do falso perfil no inquérito das fake news, por crime contra a segurança nacional.

O ministro disse que o caso não tinha relação com ataques aos ministros do STF e foi aberto outro inquérito, sob relatoria de Ricardo Lewandowski.

A Polícia Federal identificou que o criador do perfil falso é Marcos Lourenço de Souza, morador da cidade de Irati (PR).

O delegado do caso, no entanto, não o enquadrou na Lei de Segurança Nacional.

Em vez disso, apontou prática do crime de falsa identidade, que consiste em “atribuir-se ou atribuir a terceiro falsa identidade para obter vantagem, em proveito próprio ou alheio, ou para causar dano a outrem”. A pena é de detenção, de três meses a um ano.

Hoje, por recomendação da PGR, Lewandowski decidiu que, como Marcos de Souza não tem foro privilegiado, o caso deve tramitar na primeira instância.

Leia mais: As notas exclusivas da Crusoé são fonte de informação indispensável para entender o que ocorre na capital federal e adjacências.
Mais notícias
TOPO