Criminoso tratado como criminoso

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, da Lava Jato, saiu em defesa do juiz Sergio Moro no episódio dos grampos.

Ele disse, segundo o Estadão:

“Ele (Moro) está pagando mais caro do que deveria por levantar o sigilo. É preferível a publicidade dos atos ao sigilo. O sigilo só deve existir em casos extremos”.

Ele defendeu também a condução coercitiva de Lula:

“Nós entendemos que era necessário conduzir. Uma vez que decidimos isso, tentamos fazer da forma mais cirúrgica possível. Fizemos todas as oitivas, não só a do ex-presidente, em cinco horas, para diminuir ao máximo a reação social e garantir a segurança pública. Entendemos que era um grupo que era necessário ouvir ao mesmo tempo para que não combinassem versões”.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

  1. Ler mais 53 comentários
    1. Não gosto deste tipo de manifestação. Acho muito próximo da arruaça, do vandalismo. E olha que eu não sou moderado , mas se há coisa que me deixa nervoso é ver alguém coberto de razão perde-la por bobagem.

    2. a administração do empreendimento, se portou de forma correta,e a manifestação também,cabe agora a restituição deste gasto pelos criminosos.sou bentogonçalvense com muito orgulho.

    3. Silvana, o contrato foi feito com o nome da noiva. O Spa só descobriu quem era o noivo depois, e não conseguiu cancelar. Já estão tendo prejuízo só com a segurança extra e o controle de hóspedes que foram obrigados a fazer.

    4. Eu acho que o Spa deveria fazer a doacao de todo o lucro do maldito casamento para uma associacao de caridade, uma vez que a probabilidade de estarem sendo pagos com dinheiro roubado dos cofres publicos e imensa.

    5. CONVIDADOS, CUIDADOS COM AS BOLSAS,CARTEIRAS E CELULARES–ONDE TEM PETTRALHAS TODO CUIDADO É POUCO , QUE O DIGA O MEDICO SECRETÁRIO DE SAUDE SP – UIP- ROUBARAM SEUS 2 CELULARES – O PINGUÇO ESTAVA AO LADO

    6. Parabéns pelo profissionalismo. Trabalhadores não podem ser penalizados e as contas precisam ser pagas. Nós não somos eles, somos de outra safra. Respeitamos,pois, o direito da empresa trabalhar; afinal não é ela nem seus donos que estão roubando o Brasil.

    7. Comunicamos que as garrafas dos nossos melhores châteaus, cabernets sauvignons, merlots, chardonnays e rosés, estarão bem guardadas… Ou melhor, trancadas… Ocultadas… Já transferimos as mesmas para outro lugar mais apropriado…