Crivella: “Bobagem, infâmia, injúria, calúnia”

Em vídeo no Facebook, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, eleito em 2016, chamou de “sem pé nem cabeça” a notícia de que Eike Batista disse ter repassado a ele R$ 1 milhão para ficar de fora da disputa para a Prefeitura em 2012.

Crivella alegou que não concorreu naquela eleição porque era ministro da Pesca e foi nomeado ao cargo em março daquele ano, não podendo deixá-lo em abril para concorrer em outubro.

Ele pediu para as pessoas não considerarem “essa bobagem, essa infâmia, injúria, calúnia”.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 15 comentários
  1. A resposta de Crivella é tal e qual aquela dada por Gleisi Hoffman, ao maridão Paulo Bernardo, quando questionada se ela teve de facto um affair com Alexandre Romano: “Bobagem, infâmia, injúria, calúnia!”

    1. Claro! Bom seria se o RJ tivesse a Benedita da Silva, Jean Wyllys, Chico Alencar, Marcelo Freixo… no comando da cidade.

    1. Milhões de pessoas recebendo o bolsa-pesca para venda de votos. E se o bandido diz que tinha motivo para não concorrer, por que então pegou a propina de um milhão?

    1. Dilma/Temer, chapa que deveria ter sido cassada no dia 02 de agosto de 2017, se o TSE se importasse com excesso de provas…