Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Crusoé: a Caixa da família Bolsonaro

Além dos pedidos de empréstimos, a revista mostra que os patrocínios da Caixa também têm sido direcionados a pedido de familiares de Jair Bolsonaro
Crusoé: a Caixa da família Bolsonaro
Capa: Rodrigo Freitas/Crusoé - Fotos: Marcos Corrêa/PR, Divulgação/Caixa e Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Na semana passada, Crusoé revelou os pedidos de Michelle Bolsonaro para a liberação de empréstimos da Caixa a amigos e apoiadores do governo. Na nova edição, a revista mostra que os patrocínios do banco também têm sido direcionados a pedido de outros familiares, como Flávio Bolsonaro, o 01

“Entre janeiro e agosto de 2021, a Caixa gastou 87,5 milhões de reais com patrocínios. Uma fatia relevante foi destinada a entidades que, nos bastidores, contaram com a ajuda de Flávio Bolsonaro. Do total de repasses deste ano, pelo menos 50 milhões de reais têm a digital do 01 e de um de seus fiéis escudeiros em Brasília, o secretário especial do Esporte do governo, Marcelo Reis Magalhães. Marcelo Negão, como é conhecido, assumiu o cargo em fevereiro do ano passado por indicação do senador. Íntimo da família Bolsonaro, ele foi padrinho de casamento de Flávio com a dentista Fernanda Bolsonaro. Com experiência anterior no setor privado, onde atuava fazendo captação de patrocínios e planejamento de marketing para atletas consagrados, Marcelo passou a atuar em parceria com Flávio para atender entidades comandadas por aliados do governo.

Um dos repasses que contaram com a intermediação da dupla foi para a Confederação Brasileira de Ginástica. A entidade é presidida por Maria Luciene Cacho Resende, mas quem costuma representá-la em Brasília é o filho dela, Ricardo Cacho Resende. A intimidade de Flávio e Marcelo com Ricardo é tamanha que ele foi convidado para a festa de aniversário do secretário, no último dia 16 de junho. Lá, Ricardo chegou a ser apresentado a Jair Bolsonaro. Dias antes, a confederação havia recebido da Caixa a confirmação de um patrocínio de 30 milhões de reais. É, de longe, o maior valor repassado pelo banco a uma entidade neste ano.”

Leia a matéria completa na Crusoé, assine a revista e apoie o jornalismo independente.

 

Mais notícias
TOPO