Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Crusoé: no Judiciário profundo

Uma investigação no TJ de Alagoas descobre até boleto em nome de desembargador quitado por empresários; um dos alvos é ligado a Lira
Crusoé: no Judiciário profundo
Reprodução/Crusoé

A Operação Pecunia Non Olet mobilizou autoridades dos três poderes em Alagoas e em Brasília e se transformou em um exemplo emblemático da mistura de interesses nada republicanos entre políticos e magistrados, diz a Crusoé.

Entre os alvos da ação, estavam dois dos magistrados mais influentes do estado.

“No rol de padrinhos do juiz Ivan Vasconcelos Brito Júnior e do desembargador Celyrio Adamastor Tenório Accioly, os dois alvos principais da operação, estão ninguém menos que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e o presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, ambos alagoanos.”

“A apuração da PF mira crimes como corrupção e advocacia administrativa. Como era de se esperar, máquinas poderosas se moveram para tentar frear a ofensiva policial. Na Assembleia Legislativa do estado, deputados aprovaram a toque de caixa um projeto que aumenta o número de desembargadores no TJ e um dos alvos da operação pode ser promovido em breve, o que deve lhe garantir um nível adicional de proteção.”

Leia aqui a reportagem completea.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....