ACESSE

Crusoé: resort em que Toffoli se hospedou é de seu primo e já entrou no radar da Lava Jato

Telegram

O Tayayá Aquaparque Hotel e Resort, no qual Dias Toffoli ficou hospedado no último fim de semana, segundo reportagem publicada hoje pela Folha, já chegou a entrar no radar da Lava Jato há alguns anos.

É o que revelou uma reportagem de Fabio Leite publicada na edição 76 da Crusoé, em outubro deste ano (releia aqui a íntegra).

Mario Umberto Degani, primo de Toffoli, e seu sócio Euclides Gava Junior são os donos do Tayayá, um hotel cinco estrelas que fica em Ribeirão Claro, no interior do Paraná (a pouco mais de 140 quilômetros do centro de Marília, cidade-natal do ministro do STF).

“O resort Tayayá entrou no radar da Lava Jato anos atrás. Procuradores de Curitiba haviam levantado a suspeita de que o ministro Dias Toffoli seria sócio do primo no complexo no interior do Paraná – essa suspeita, é importante dizer, nunca foi comprovada. Embora o nome do presidente do STF não apareça em nenhuma matrícula de imóvel ligada ao hotel, ele foi homenageado em janeiro de 2018 pela Câmara Municipal de Ribeirão Claro por, entre outros motivos, ter ‘colaborado para o desenvolvimento e incremento turístico’ do município, ‘por meio do apoio decisivo na implantação da empresa ‘Tayayá Aquaparque Hotel e Resort'”, diz a reportagem da Crusoé.

O complexo foi construído em uma região conhecida como “Angra Doce”, às margens da represa de Chavantes. Lançado em 2008, após um investimento inicial de R$ 2,2 milhões, o resort hoje conta com nove pousadas, 66 chalés e 100 apartamentos distribuídos em uma área de 108 mil metros quadrados, com seis restaurantes e um parque aquático.

A área foi adquirida pelo primo de Toffoli e pelo sócio em 2000, por R$ 40 mil, e desde então vem recebendo altos investimentos.

Segundo José Carlos de Souza Bastos, o Béca, amigo de Toffoli e dono de uma ilha a poucos metros do resort, o atual presidente do STF frequentava o local antes mesmo de seu primo ter lançado o complexo turístico, em 2008, quando Toffoli ainda era advogado-geral da União no governo Lula.

“Ele é primo do Beto [Degani], frequenta lá há anos, inclusive até na minha ilha ele já foi. Mas quando o Tayayá começou ele nem tinha essa função que ele tem hoje”, afirma.

Reportagem publicada nesta terça-feira pela Folha diz que Toffoli ficou hospedado no resort no último fim de semana. O presidente do STF partiu de Brasília rumo a Ourinhos (SP) na sexta-feira passada. Ele participou da inauguração do Fórum Eleitoral de Ribeirão Claro (PR) e, depois do evento, “prolongou a estadia na região indo para o Tayayá Aquaparque”. Toffoli deixou a cidade na segunda-feira, dia 23, em um voo da FAB.

“Conforme prevê o decreto 4.244/2002, trata-se de viagem a serviço e também que envolve questões de segurança do presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça”, diz nota da assessoria de imprensa do STF. Não houve manifestação sobre o prolongamento da viagem no resort.

Leia a reportagem da Crusoé publicada em 11 de outubro de 2019:

O irmão problema

01 de Jair Bolsonaro sem blindagem. CONFIRA

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 79 comentários