CUT e MBL: cada um no seu quadrado da Paulista

Telegram

Caberá à Prefeitura decidir sobre o impasse relativo aos atos na Avenida Paulista marcados por CUT e MBL para 24 de janeiro, dia do julgamento de Lula pelo TRF-4 em Porto Alegre.

Foi a conclusão de uma reunião organizada por Gianpaolo Smanio, procurador-geral de Justiça, entre as cúpulas da Segurança de São Paulo e promotores do Estado, como Valéria Maiolini, informa o Painel da Folha.

Maiolini havia recebido a representação da PM informando que não houve acordo entre os grupos rivais.

“Nesse cenário, o Ministério Público recomendou a Doria que o MBL, anti-PT, fique concentrado no fim da Paulista, próximo à Consolação, e a CUT, pró-Lula, no Largo da Batata.”

Comentários

  • Mauricio -

    Nem um muito menos o outro, não tem que interditar nada. PT e MBL que se limitem exclusivamente a suas sedes, e o direito de ir e vir do cidadão comum repeitado e garantido. Até por que, quem é o Apedeuta para merecer a interdição de qualquer coisa que seja, aqui em SP???? Nada e nem ninguém!!!!

  • brasileiro -

    Meu sr. Ao invés de questionar o que eu quis dizer, para poder me entender ou quem sabe me mostrar o seu lado, prefere atacar minha pessoa (me chamar de idiota), não a minha idéia. Nada mais bolivariano do que isso! Quanto ao meu primeiro post, sou totalmente a favor da apuracao de ilicitos e crimes e a responsabilização dos responsáveis (quem quer que seja, de A ou de B). Mas nao é porque eu não falo amém a este e/ou àquele grupo, que sou contra o Brasil. Pelo contrário, fui em muitas dessas passeatas do passado recente, vestido de verde e amarelo. Discordo de algumas atitudes de alguns grupos que se dizem patriotas. Agora se vc pertence a um deles, ou diz amém cegamente a eles, realmente não há o que discutir. Caso não, vale dizer que a reflexão e auto crítica é sempre bem vinda. Abs.

  • Brasileiro -

    Ferrou, CUT.

Ler 31 comentários