Daciolo defende voto em cédula

Cabo Daciolo só pôde perguntar para Guilherme Boulos. Ele questionou o candidato do PSOL sobre “as urnas eletrônicas do nosso país”.

Boulos usou o tempo para responder a uma provocação anterior de Henrique Meirelles dizendo não ser “banqueiro” nem se juntar com “sem-vergonha”. Sobre as urnas, disse não haver nada de errado com elas.

Daciolo, então, pediu para que “a nação brasileira” se empenhe pelo voto em cédula, “para a honra e glória do Senhor Jesus”. E acrescentou que sua tese não é “teoria da conspiração”.

“Tem que haver a contabilidade dos votos.”

Boulos ignorou o raciocínio do adversário e afirmou que o que pode prejudicar a votação é “o abuso do poder econômico”.

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 9 comentários
  1. A Smartic é uma arma da esquerda para fraudar eleições e não ser possível seguir a constituição, que exige a conferência DIRETA dos votos! Não existe nas Democracias do mundo!

  2. Nada de errado né! Estas maravilhas eletrônicas foram refugadas pelas grandes democracias mundiais como EUA, Alemanha, Japão, França… Só republiquetas Bolivarianas Brasil ,Argentina, etc adotaram

  3. É um debate imbecil! Idiota!! Porque estão participando no debate candidatos que não tem a minima chance, como esse tal de Daciolo e o terrorista Boulos? Eles atrapalham e poluem nossas escolhas.

  4. As urnas eletrônicas brasileiras são as mais seguras e confiáveis do mundo. Cabo Daciolo acredita em teoria da conspiração. Voto em cédula de papel é um retrocesso.