Danilo Forte: “Não tenho nada, nada, nada, absolutamente nada”

Danilo Forte entrou em contato com O Antagonista para reclamar da nota que publicamos lembrando a investigação da CGU que apontou desvio de meio bilhão de reais em sua gestão na Funsasa.

“Fizeram uma devassa na minha vida inteira. Não acharam nada. Não tenho nada, nada, nada, absolutamente nada. Nenhuma condenação na Funasa. Todos os inquéritos que foram abertos se tornaram ineptos.”

Forte alega que tudo não passou de perseguição do PT. “Tirei 27 ONGs da Funasa que eram ligadas ao PT, afastei mais de 100 funcionários, substitui 10 superintendentes por causa de investigações e processos.”

O deputado disse ainda que se surpreendeu com o convite de Onyx Lorenzoni para assumir a Secretaria Especial do Nordeste.

“É uma tarefa muito desafiadora. É preciso avançar nos programas estruturantes e revisar os programas sociais, digitalizar o Bolsa Família, acabar com a ‘indústria do cartão’. Assim a gente consegue aumentar o repasse e isso ajuda no mercado interno das cidades.”

O "velho Brasil" contra-ataca a Lava Jato e Sergio Moro. Entenda AQUI

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 16 comentários
  1. Deputado Fortes, NÃO concentre o esforço da Secretaria Especial do Nordeste a distribuir ESMOLAS para o Nordeste. Ajude a levar DESENVOLVIMENTO. Não fique só distribuindo BOLSA, PLEASE.

  2. Obrigado Cláudio Dantas o melhor e maior jornalista investigativo que temos no Brasil. Estamos disposto a ajudar o Bolsonaro mudar de vez o Brasil da velha política do toma lá dá cá. Olhos abert

  3. Sou muito grato aO Antagonista por nos ajudar ficar de olho nessa gente,de maneira honesta,isenta.Erros todos cometem, mas a sinceridade permite corrigi-los.Serviço de alto valor.”Tamo junto”

  4. Todos são perseguidos. O Governo Bolsonaro vai de mal a pior. Vai deixando vários flancos para serem atacados. Convida Moro para ser ministro e gente como esse Danilo. Não tem como dar certo