De Crivella para Rafael Alves: 'Já acordou, amigo?'

De Crivella para Rafael Alves: Já acordou, amigo?
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Segundo o MP do Rio, Marcelo Crivella e o empresário Rodrigo Alves trocaram 1.949 mensagens desde a campanha de 2016. Mas, de acordo com os investigadores, as conversas eram sempre cifradas, só para marcar encontros ou fazer referência a conversas pessoais anteriores.

Por exemplo:

Nos dias anteriores às mensagens, Alves havia pedido para falar com Crivella sobre “alguns assuntos” e o prefeito pediu para a reunião ser na casa dele, à noite. Por causa de compromissos de Crivella, a conversa ficou para depois.

O papo havia ficado para o dia anterior às mensagens, depois do expediente, mas acabou desmarcado:

Segundo o MP, “a realização de reuniões na casa do próprio Prefeito e após ou antes do horário normal de expediente, sempre para tratar de assuntos cujo teor jamais eram revelados nas trocas de mensagens que os antecediam. Ademais, tais mensagens confirmam que RAFAEL ALVES e MARCELO CRIVELLA se valiam das “caminhadas matinais” para tratar de assuntos sigilosos e que não podiam ser resolvidos pelos meios tradicionais de comunicação”.

Em entrevista à CNN durante o fim de semana, Crivella disse que não conhece Rafael Alves, que só o viu na igreja uma vez – o prefeito é pastor da Igreja Universal.

Leia mais: EXCLUSIVO: A APURAÇÃO SOBRE A LIGAÇÃO DO MINISTRO DIAS TOFFOLI COM A ODEBRECHT E A OAS
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 23 comentários
TOPO