De dentro do Palácio do Planalto

O Estadão teve acesso às 1.152 páginas do inquérito sigiloso sobre os atos antidemocráticos.

“O que mais causou surpresa foi a descoberta de que informações usadas por uma rede de canais no YouTube saíram de dentro do Palácio do Planalto.”

Surpresa?

A reportagem diz também que, “trabalhando a poucos metros do gabinete do presidente Jair Bolsonaro”, o assessor especial da Presidência da República Tércio Arnaud Tomaz e o Coronel o Mauro Cesar Barbosa Cid, ajudante de ordens, são interlocutores e fornecedores do lucrativo agitprop bolsonarista.

Leia mais: Crusoé é a revista que fiscaliza TODOS os poderes e também mostra os bastidores do jogo político.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO