Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

De onde a iniciativa privada vai comprar vacina?

De onde a iniciativa privada vai comprar vacina?
Foto: Carlos Magno/Governo do Estado do Rio de Janeiro

Como temos noticiado, a pressão por um autorização mais ampla para que a iniciativa privada possa comprar vacinas contra Covid diretamente dos laboratórios aumentou nos últimos dias.

Arthur Lira anunciou, como também já registramos, que pretende colocar para votar o quanto antes na Câmara um projeto que permite a compra de imunizantes por empresas, sem necessidade de doação de doses para o SUS.

A pergunta que se faz, no entanto, é: de onde a iniciativa privada comprará vacinas?

Sem entrar em detalhes, o empresário Luciano Hang, das Lojas Havan, disse a O Antagonista:

“Temos negociações em andamento com dois laboratórios. Estamos aguardando a mudança na legislação para decidir qual será a melhor opção.”

Segundo Hang, os prazos de entrega das vacinas poderiam levar de três a quatro semanas, após a confirmação do pedido e a aprovação da documentação envolvida.

O ex-deputado Sandro Mabel, atual presidente da Federação das Indústrias de Goiás, afirmou a este site que há conversas sendo feitas para a aquisição da Coronavac — algo em torno de 5 milhões de doses — diretamente da China; e também para comprar a vacina da Janssen, que recebeu nesta semana autorização para uso emergencial no Brasil.

Existem várias ofertas. Mas, como ainda não tem a lei adequada que permita a compra, os caras não acreditam”, ponderou Mabel.

O ex-parlamentar rechaçou as críticas de que a iniciativa privada quer “furar a fila” da vacinação.

“É o contrário: a gente quer ajudar na imunização. Em menos de 20 dias, conseguiríamos aplicar cerca de 300 mil vacinas aqui em Goiás, por exemplo. O governo federal já comprou vacinas para o programa nacional de imunização [PNI], já existem os contratos. Qualquer vacina comprada pela iniciativa privada não atrapalha esse plano. Os trabalhadores vacinados pelas empresas não vão entrar na fila do PNI, que vai, assim, andar mais rápido.”

Mabel acrescentou que está sendo criado um fundo para que os empresários interessados em adquirir imunizantes apliquem valores. O fundo será operado pelas próprias empresas, segundo ele.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO