De republicano para republicano

Em editorial, o Estadão publica que, ao ser informado sobre o teor do relatório de Antonio Anastasia, “Dilma lamentou a ‘iingratidão’ do ex-governador mineiro, que recebeu ‘muita ajuda do governo federal’ e com quem ela sempre manteve ‘uma relação republicana'”.

Ora, Anastasia também foi republicano no seu relatório.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;

Ler 36 comentários
  1. A impunidade é um atentado ao Estado de Direito ?! Então vão FINALMENTE acabar com o foro privilegiado e demais privilégios ? Aaah não ? Isso só vale para Cunha, não vale para Renan , Dilma , Lula etc ?

  2. Hahahahahaha. O STF dizendo isso? Foram e são os maiores promovedores de impunidade. O STF está acovardado. A justiça não vale nada, o q vale são as relações entre as pessoas. O STF confirma essas afirmações q saíram da boca do maior bandido da nação.

  3. sergio passos 1 minuto atrás Não se pode elogiar esta decisão proferida por um capacho-oligofrênico petista travestido de Ministro do Supremo tal qual Teori, esta referida decisão estuprou e feriu de morte a Constituição Federal, e que na pratica cassou, sem nenhuma previsao legal, um Mandato Parlamentar em evidente afronta aos mais comezinhos princípios constitucionais de repartição e independência dos poderes. EM OUTRAS PALAVRAS: CORTE BOLIVARIANA SANCIONANDO A DITADURA COMUNISTA NO BRASIL. VAI TER GUERRA. SAD, BUT TRUE.

  4. »» »» ” – Imunidade não é impunidade – ” ??!!! Claro que não deveria ser… O que não consigo entender é esse jeito de ter 2 pesos e 2 medidas. A Dilma sofre impeachment por “pedaladas fiscais”… E os governadores de alguns Estados que praticaram os mesmos atos???!!!!! Governo Alckmin deu “pedalada” e calote de R$ 332,7 mi no Metrô de São Paulo. E agora? http://www.brasilpost.com.br/2016/05/05/alckmin-pedalada-calote-metro_n_9843246.html?utm_hp_ref=brazil Haja vergonha e coerência … »»» »»»

  5. Não se pode elogiar esta decisão proferida por um capacho-oligofrênico petista travestido de Ministro do Supremo tal qual Teori, esta referida decisão estuprou e feriu de morte a Constituição Federal, e que na pratica cassou, sem nenhuma previsao legal, um Mandato Parlamentar em evidente afronta aos mais comezinhos princípios constitucionais de repartição e independência dos poderes.

  6. Teori abusando do blablabes e se excedendo no enfeite com teratologia. Nada muda o fato que o judiciário suprimiu o legislativo, para piorar por puro fisiologismo, pois afinal a impunidade já reina na casa da praça já há muito. Vamos citar somente os notáveis: Reman, Lularapio,Merdadante,Gleixinha,Feioberg,Cedinho,JECA e vários outros. Se queriam mostrar serviço poderiam simplesmente ter derrubado logo o foro do sapo e nada fizeram.Trocando em miúdos, não passam de tapete onde se lê; BEM VINDO. Queremos IMPEACHMENT DE TODOS POLÍTICOS E DO STF. INTERVENÇÃO MILITAR JÁ.

  7. E onde está o devido processo legal? A ampla defesa? Me parece que além da celeridade deste caso em particular usam dois pesos e uma medida. Tomem cuidado com o Cunha pois este sabe das falcatruas dos colegas como ninguém e para proteger sua família pode fazer uma colaboração premiada.

  8. Fim da CF/88 Estamos assistindo a violação do princípio constitucional da independência dos Poderes da República. O voto de Teori é justificativa para abandonar a Constituição Federal e decretar um GOLPE DE ESTADO!

  9. Estamos assistindo a violação do princípio constitucional da independência dos Poderes da República. O voto de Teori é justificativa para abandonar a Constituição Federal e decretar um GOLPE DE ESTADO!

  10. Agora todos sabem que, graças ao STF, o Lula está apenas imune, o que já bastou para atuasse durante semanas como ministro informal de uma presidente usurpadora. O vagar da Justiça brasileira somado à possibilidade de infinitos recursos e descaradas chicanas é que deverão finalmente tornar o meliante-mor impune.

  11. Mas tem muitos políticos na impunidade, por causa da imunidade!!! Acho que minha cabeça pirou, de tanto acompanhar a esbórnia da República da Banania. Seja lá, o que Deus quizer!!!

  12. Sem o decreto de prisão de Cunha, toda oratória é mera catilinária. Querer igualar a situação de Cunha com a de Arruda é teratologia, pois Arruda foi preso, e, portanto, teve seu mandato suspenso pela força da ausência.

  13. A leitura da fundamentação do PGR e da defesa prévia de Cunha demonstra que a matéria demanda dilação probatória e jamais pode ser decidida em sede cautelar, particularmente, quando a penalidade em análise é extremamente gravosa e inédita haja vista que implica de fato na cassação do mandato parlamentar e no afastamento do presidente da Câmara das suas funções, ou seja, implica em violação do princípio constitucional da independência dos Poderes da República e viola os princípios do devido processo legal e da ampla defesa. O voto de Teori é justificativa para rasgar a Constituição Federal.

  14. Enfim, um argumento inteligente: “o que se garante a um parlamentar é imunidade e não impunidade” , ressalte-se porém que demorou muito para alguém do Supremo ter essa “brilhante” “revelação de luz”.

  15. Se o momento é de renovação, ideal para o Brasil e para os brasileiros, é que todos esses ministros da corte peçam aposentadoria e larguem mão de fazerem bobagens …. aliás, nem se esperaria deles coisa melhor.

  16. O que garante a imunidade e a impunidade da organização criminosa chamada Foro de São Paulo, é que ela não existe, embora escravize e ponha de joelhos o povo brasileiro, assim como vários outros da América Latina.

  17. É verdade … só que o Estado de Direito impõe que todos tenham tratamento igual, e o senhor Teori não dá o mesmo tratamento a Lula, que nem foro privilegiado tem, de sorte que, o elemento argumenta de uma forma quando convém, mas dele foge quando pode atingir as pessoas a quem é grato.

  18. “Atentado ao Estado de Direito” é cassar um deputado ao arrepio da Constituição. Julgue e condene. É o que estabelece o VI do artigo 55 da Constituição da República Federativa do Brasil.