De volta à Fiesp, Skaf segue indeciso

Paulo Skaf reassumiu a presidência da Fiesp hoje, depois de ficar em terceiro lugar –fora do segundo turno, portanto– na eleição para o governo de São Paulo.

Segundo a Folha, só amanhã o emedebista deve começar a avaliar seu posicionamento na disputa entre João Doria e Márcio França.

França, o segundo colocado, superou Skaf por pouco mais de 89 mil votos. Na campanha do presidente da Fiesp, a avaliação é que a estrutura partidária em torno do governador fez diferença na reta final.

Você está preparado? O Brasil em suspense até o segundo turno da disputa presidencial. Entenda AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 17 comentários
    1. O cara é denunciado em 4 delações premiadas da Oderbtecht, é evidente que Skaf está mais para Skaface, bandidos sempre ficam ao lado de bandidos.

  1. O PMDB quebrou o estado com Quércia e Fleury. Foram responsáveis pela quebra do Banespa(Maluf também antes deles). E Skaf tem denúncias de irregularidades no sistema S (Folha de SP).

  2. Ué, há cinco dias atrás ele disse apoiar o Bolsonaro, que apoio é esse, Márcio França é contra o Bolsonaro, seu partido prega Lula livre, e há tempos tentam tirar o juiz Moro da Lava Jato.

  3. Ufa, escapamos por pouco…, pois o Dóriamídia Mentiroso ainda está no segundo turno, mas vamos tirá-lo da vida pública de uma vez!! E, não adianta vir apoiando o Bolsonaro para se salvar..!!!

  4. Ufa, escapamos de um dos dois…, pois ele e Dóriamídia Mentiroso ainda está no pário. E, não adianta vir apoiando o Bolsonaro para se livrar: “Vamos tirar você da vida pública, seu mentiroso.

    1. Mentiu, sim, disse que ia terminar seu mandato…!!! Filho do ladrão de merenda Alkcminluf…!!! Não vem você, com essa mentira que ele luta contra a esquerda..!! Joguinho bobo q não pega mais nin

    2. Mentir para políticos esquerdistas é dever de todo brasileiro honrado, João Doria nunca traiu seu eleitorado de centro-direita, paulistas de bem votam BOLSODORIA