Debate sobre agrotóxicos “terá muito espaço”, diz Tereza

Tereza Cristina, a futura ministra da Agricultura do governo de Jair Bolsonaro, afirmou nesta quinta-feira que a pauta sobre modificações nas regras dos agrotóxicos “terá muito espaço” para debate na pasta.

“Com certeza, terá muito espaço de debate ainda. Ele [o projeto] passou na comissão, é um assunto polêmico. A comissão especial trouxe a modernização, é você dar a opção do produtor brasileiro usar as mesmas moléculas que são usadas lá fora através da agilidade, da transparência e da governança”, disse depois de reunião com Bolsonaro.

Tereza se refere ao projeto que flexibiliza a Lei dos Agrotóxicos, aprovado por uma comissão especial da Câmara dos Deputados em junho.

A grande imprensa está atrasada no episódio do convite de Bolsonaro a Moro... Imagine o que ela está deixando de revelar para VOCÊ LEIA AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. ReconquistaBR! disse:

    O índice de suicídio no campo é altíssimo devido ao veneno. Normalmente os agricultores 'saudáveis' vivem mais!

Ler comentários
  1. ReconquistaBR! disse:

    Se Henrique Prata não for para o ministério da saúde, então o coloque no ministério da agricultura, ele é capacitado para as os dois ministérios.

  2. Massaaki disse:

    Se são moléculas usadas lá fora, por que não aqui?

    1. Quando alguma empresa quer vender suas moléculas que custam 10 vezes mais caro começa fazer terrorismo. Tenho certeza de que você não vai querer pagar muito mais caro pelo come todo dia.

    2. Porque aqui para você registrar uma molécula custa caro e é um saco. Por causa disso os agricultores são obrigados a usar produtos que a DÉCADAS são PROIBIDAS lá fora...

  3. Rosa disse:

    As ONGs ambientalistas só querem reservas indigenas e bosta de vaca na agricultura orgânica em áreas pequenas. Não querem agrotóxicos porque seremos um forte competidor! Só no país deles podem

    1. Depois se enchem os hospitais sucateadospúblicos com pessoas com cãnceres, distúrbios digestivos, e licenças trabalhistas remuneradas. Grande ganho este de exportar e ferrar c/ a saúde do povo.

  4. Presidente-XVII disse:

    O que não me agrada nela: os pitacos dela sobre o ministério do meio-ambiente, propondo pessoas ligadas ao FHC, e as opiniões dela acerca da mudança da embaixada pra Jerusalém.

  5. siqueira disse:

    Bolsonaro!!! Cuidado com essa Tereza Cristina; a Embrapa mesmo desfalcada, tem várias soluções pra diminuir o uso de veneno e ainda produzindo mais por hectare.

  6. Maria disse:

    Pois eu digo uma coisa: tenho dois filhos autistas e uma das muitas possibilidades pelo que pesquisei é VENENO.

    1. Parece Maria, que estes acima não se importam de morrer de câncer nem em saber que os seus se alimentam com venenos.

    2. Já forma feitos testes, sim, senhor, mas o poder da indústria do glifosato é mais forte que a verdade!

    3. Essa sua hipótese já virou verdade para você. É chute, nem deveria citar sem ter um mínimo de provas.

    4. Sim, caros, há uma epidemia mundial de autismo e uma das hipóteses dessa epidemia [é o veneno utilizado na agricultura.

  7. Leonardo disse:

    Essa sim! fala o que o produtor quer escutar.

  8. Carlos disse:

    Em S Paulo governo e prefeitura são obrigados a comprar 30% de orgânicos para as escolas. Custa 3 vezes mais caro e não tem nenhuma vantagem nutricional.

    1. A vantagem nutriente é alimento não contaminado com veneno!Venenos proibidos em muitos países e aqui as industrias do mesmo estão ganhando dinheiroComo orgânicos não contem defensivos mantém sa

    2. Governos nem prefeituras podem gastar dinheiro público só para atender grupinhos ambientalistas.

  9. marcelo disse:

    ESSA TERESA POLITIQUEIRA NOJENTA É uma baita bola fora. veneno para população não é discutível, câncer não tem debate. quem quer lucrar com isso é, empregar assessor debater veneno é canalha

  10. Carlos disse:

    Da mesma forma que a soja trasngênica que não faz mal para ninguém mas é muito mais produtivo, reduz a área cultivada e no final o produto sai mais barato.

    1. Além do câncer, os distúrbios digestivos que tem acometido mais e mais a população.

    2. Engano seu! Existem estudos que relacionam o consumo transgênicos a uma série de doenças, inclusive câncer.

  11. Marcelo disse:

    Espero que ela leve a sério a questão, pois a demanda por alimentação segura e saudável mobiliza eleitor de direita e de esquerda. Só não mobiliza os tubarões do agronegócio.

  12. Fabão disse:

    Bora comer saladinha pestilenta. 😨😨😨😨

  13. Eliana disse:

    A população lúcida que se alimenta e á família tem todo o DIREITO de dizer NÂO a defensivos agrícolas proibidos na maioria dos países.

    1. Botem a Teresa Ministra do Chacrinha para Beber dois copos de 300 ml de BHC todos os dias. É saudável, refrescante e rejuvenecedor, meu rei!

    2. Contaminam não só o alimento, como o lençol freático, o ar, a agua, e quem o consome. Querem matar mais no Brasil?

  14. UBIRATAN disse:

    Por muito muito pouco a Tereza Ministra do Chacrinha não indicou o "Hildebrando da serra elétrica" para Ministro do Meio Ambiente. Passou raspando. Ufa! Foi por muito pouco. Haja serra seu serrad

  15. Nikola disse:

    Sem agrotóxico não existe produção em larga escala e para exportação. O país não vive somente de agricultura familiar. O debate é sobre agrotóxicos menos prejudiciais ou controle orgânico.

  16. Xavier disse:

    Vender é fácil... Recuperar um cliente perdido é caro e quase impossível. Espero que esse povo Ruralista tenham aprendido com o problema da FRIBOI. Só pra informar eu não compro nada desse grup

  17. José disse:

    E eu falando que o astronauta ia ser o pior ministro. vai ser duro a briga pelo pior, entre ele e esta senhora...

  18. Freedom disse:

    Podem debater, desde que o agricultor ainda possa utilizar normalmente para produzir o que está salvando a economia brasileira.

  19. Rocha disse:

    Reitero meu descontentamento. Desejo que Bolsonaro reavalie essa nomeação.