ACESSE

Defensores da reforma trabalhista evitam rebater Fachin

Telegram

Deputados e senadores que ajudaram a aprovar a reforma trabalhista não querem rebater a declaração do ministro Edson Fachin, para quem o fim do imposto sindical é “uma ameaça constitucional”.

Dizem que preferem evitar “espírito de corpo” antes de o plenário do STF analisar, no dia 28 deste mês, a ADI 5794, ajuizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte Aquaviário e Aéreo, na Pesca e nos Portos.

A entidade acionou a Justiça para manter intacto o imposto sindical. Na ação, fala em “perigo de grave lesão para o sistema confederativo decorrente da supressão da contribuição sindical”.

A “grave lesão” será no bolso dos trabalhadores, se o imposto sindical voltar. Sim imposto, porque contribuição é que é voluntária.

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 51 comentários