Defesa de Alckmin diz que indiciamento é 'injustificável' e 'precipitado'

Defesa de Alckmin diz que indiciamento é injustificável e precipitado
O candidato à Presidência da Republica, Geraldo Alckmin (PSDB) participa do debate "Futuro do Brasil", realizado pela Coalizão pela Construção, formada por 26 das mais importantes entidades representativas da indústria da construção.

A defesa de Geraldo Alckmin classificou como “injustificável” e “precipitado” o indiciamento do tucano pela PF sob as acusações de corrupção, lavagem de dinheiro e caixa dois.

O ex-governador paulista, seu ex-assessor Sebastião Alves de Castro e o ex-tesoureiro do PSDB Marcos Monteiro são acusados de receber propina da Odebrecht para favorecer a empreiteira em contratos do Rodoanel e da Linha 4 do Metrô.

Segundo os advogados Marcelo Martins de Oliveira e José Eduardo Rangel de Alckmin, a ação da PF “feriu um dos princípios basilares do Estado democrático de Direito: o direito do contraditório e da ampla defesa”.

“A ele [Alckmin] foi negado o prévio conhecimento dos fatos que teriam ensejado a instauração do inquérito, além do direito fundamental de se defender, assegurado pela Constituição a todo cidadão brasileiro. O ex-governador sequer foi chamado a prestar esclarecimentos que poderiam ter evitado o seu indevido e imerecido indiciamento”, afirmam os advogados do tucano.

Leia mais: Golpe no planalto: o governo quase caiu na promessa de 500 bilhões de dólares
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO