Delação de sócio da Engevix detalha propina em obra no aeroporto de Brasília

José Antunes Sobrinho, sócio da construtora Engevix, afirmou em delação assinada com a Polícia Federal que pagou propina em obra superfaturada no aeroporto de Brasília.

No depoimento, obtido por O Globo, Antunes afirma que a Engevix receberia em 2014 recursos do BNDES que seriam repassados pela Caixa. “Com os repasses atrasados, o empresário conta ter sido procurado por dois lobistas, Milton Lyra e Victor Colavitti, ligados à diretoria da Caixa e ao MDB, que cobraram propina em troca da liberação do dinheiro”.

O delator afirmou ainda que a construtora aceitou pagar aos lobistas R$ 480 mil por meio de um contrato fictício com o escritório de advocacia de Flávio Calazans.

Segundo Antunes, os lobistas não deixaram claro quem receberia a propina, mas citaram ter influência junto a Gilberto Occhi.

Lava Toga: é hora de quebrar o tabu. LEIA AQUI
Mais notícias
TOPO