Delate Bolsonaro, Pazuello

Delate Bolsonaro, Pazuello
Reprodução

“O Ministério da Saúde tentou empurrar cloroquina ao país, mas Eduardo Pazuello deve ter percebido que andava em terreno perigoso”, diz Bruno Boghossian.

“Se mudou de ideia, o general deveria delatar o chefe imediatamente. Enquanto Pazuello finge indignação e diz que não indicou medicamentos, Bolsonaro segue à frente do movimento do charlatanismo (…).

A covardia de Pazuello mostra que ele talvez tenha medo de perder o cargo ou de ser processado. A desfaçatez de Bolsonaro sugere que ele confia na impunidade. O Ministério Público e o Congresso podem investigar a responsabilidade de cada um. Os atos de ambos estão registrados em vídeo e documentos oficiais.”

Leia mais: Enquanto dezenas de países do mundo já iniciaram a vacinação contra a Covid-19, o Brasil patina entre duas vacinas.
Mais notícias
TOPO