Delator detalha indicações; Moro alerta para credibilidade

Sérgio Moro encerrou o depoimento de Fernando Moura com um alerta: “Sua credibilidade ficou bastante complicada.”

Moro questionou o delator sobre as indicações para a Petrobras e outros órgãos federais, como Furnas. Fernando Moura falou que as nomeações foram decididas ainda em novembro de 2002, após a vitória de Lula.

Segundo ele, as diretorias deveriam ser entregues a funcionários com ao menos 20 anos de casa. “Nessa relação foi indicado o nome do Renato Duque para a Petrobras, foi indicado o nome do sr. Eduardo Medeiros para os Correios.”

O delator fala também sobre a indicação de Dimas Toledo para Furnas. Ao levar o nome a José Dirceu, o então ministro rejeitou: “O Dimas não, porque se o Dimas entrar em Furnas, até como porteiro vai mandar em Furnas, está lá há 34 anos, é uma indicação que sempre foi do Aécio”.

Um mês depois, porém, Dirceu chamou Moura novamente e perguntou sobre sua relação com Dimas, explicando que “esse foi o único cargo que o Aécio pediu pro Lula”.

O delator diz que foi falar com o próprio Dimas. “Na oportunidade, ele (Dimas) me colocou, da mesma forma que eu coloquei o caso da Petrobras, em Furnas era igual. Ele falou ‘vocês nem precisam aparecer aqui, vocês vão ficar é um terço São Paulo, um terço nacional e um terço Aécio’.”

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200