ACESSE

Delatores da J&F jamais atribuíram crimes a mais de 1.800 pessoas, diz defesa

Telegram

A defesa de Joesley Batista quer aproveitar a repactuação do acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República para esclarecer e retificar pontos que diz terem sido distorcidos por vazamentos.

Segundo o advogado André Callegari, responsável pela defesa do empresário, atribuíram à delação relatos que nela não estão, como a imputação de crimes a pessoas que foram apenas mencionadas.

“Os colaboradores mencionaram, sim, doações eleitorais a partidos, e estes distribuíram a mais de 1.800 candidatos. Mas, jamais atribuíram crimes a mais de 1.800 pessoas”, diz Callegari em nota divulgada nesta sexta-feira (13/3).

O criminalista afirmou que não há nova delação. “Eles relataram em 2017 tudo aquilo que era de seu conhecimento. Não há, portanto, nenhum fato novo a ser relatado às autoridades”.

Nesta semana, Edson Fachin suspendeu o processo de rescisão da delação da J&F no Supremo Tribunal Federal. A decisão atende a um pedido da PPGR, que pediu 60 dias de prazo para as tratativas de repactuação do acordo com os delatores do grupo.

Leia a íntegra da nota:

“Diferentemente do que se divulgou, os colaboradores da J&F não farão “nova delação”. Eles relataram em 2017 tudo aquilo que era de seu conhecimento. Não há, portanto, nenhum fato novo a ser relatado às autoridades. O que se busca com a conciliação é esclarecer e retificar pontos que, distorcidos em vazamentos, atribuíram à delação relatos que nela não estão, como a imputação de crimes a pessoas que foram apenas mencionadas. Os colaboradores mencionaram, sim, doações eleitorais a partidos, e estes distribuíram a mais de 1.800 candidatos. Mas jamais atribuíram crimes a mais de 1.800 pessoas.”

André Callegari, advogado de Joesley Batista

Leia também: O vírus chega ao Palácio.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 9 comentários