Delegado diz não ser possível 'presumir autenticidade de mensagens' roubadas da Lava Jato

Delegado diz não ser possível presumir autenticidade de mensagens roubadas da Lava Jato
Foto: Reprodução/ STF

O delegado Felipe Alcantara de Barros Leal, chefe do Serviço de Inquéritos da Polícia Federal, disse não ser possível “presumir” a autenticidade das mensagens roubadas da Lava Jato por hackers.

Alcantara afirmou que as provas são ilícitas e que constitui abuso de autoridade usar o material no inquérito aberto pelo STJ para investigar a atuação de procuradores.

O inquérito foi suspenso no fim do mês passado por determinação da ministra do STF Rosa Weber. O caso ainda será analisado pela Primeira Turma da Corte.

Em documento assinado na semana passada, o delegado defendeu que a perícia feita pela Polícia Federal e citada por Ricardo Lewandowski, na decisão que liberou o acesso de Lula às mensagens, não atesta a veracidade do material.

“Autenticidade e integridade de itens digitais obtidos por invasão de dispositivo alheio não se presume, notadamente quando se reúnem indícios de que o invasor agiu com o dolo específico não apenas de obter como também de adulterar os dados”, escreveu.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO