Deltan nega ingerência da PGR na escolha de seu substituto

Em entrevista à CNN, Deltan Dallagnol, que anunciou hoje sua saída da Lava Jato, negou que tenha havido ingerência da PGR na escolha de seu substituto na chefia da força-tarefa em Curitiba, Alessandro Oliveira.

O procurador disse que, após decidir por sua saída, sondou quem teria disponibilidade para assumir o cargo –e, segundo ele, apenas Oliveira se manifestou nesse sentido.

Deltan voltou a elogiar o substituto e a dizer que a operação continua. “A Lava Jato vai seguir firme, é composta por 14 procuradores da República que tomam decisão de forma colegiada. O Alessandro é um colega competente, dedicado, tem conhecimento e experiência, é um colaborador e apoiador da Lava Jato.”

O procurador afirmou ainda não saber se as tensões no Judiciário se aliviarão com sua saída –vai depender, disse ele, se a oposição da PGR é à pessoa dele ou à operação como um todo.

Deltan também repetiu que, findos os 30 dias de férias em que pretende cuidar da saúde de sua filha, voltará a ser procurador, sem pretensões políticas. “”Meu plano é seguir na profissão que faço.”

Leia mais: Combo O Antagonista+ e Crusoé: comece a ler por apenas R$ 1,90
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 37 comentários
TOPO